Agosto

Compartilhe:

Festa de Nossa Senhora da Boa Morte – consolidada como um ícone dos festejos populares da Bahia, a festa reúne as irmãs membros de uma das mais tradicionais e famosas confrarias religiosas da Bahia, formada por mulheres negras e descendentes de escravos. Sua origem foi em Salvador, mas sua vinda para Cachoeira está ligada às senzalas e à luta das mulheres negras contra o regime escravagista, comprando cartas de alforria e oferecendo fuga aos escravos, além de buscar preservar os rituais das religiões de matriz africanas. Com a abolição da escravatura, a irmandade aproximou-se da Igreja Católica, fundando a entidade que funciona até hoje em Cachoeira. Para celebrar a força dessas mulheres, todos os anos, de 13 a 17 de agosto acontece a Festa da Boa Morte, uma das mais importantes manifestações da cultura afro-brasileira. A programação tem início com um cortejo anunciando a morte de Maria e uma missa em memória das irmãs falecidas. Ainda no primeiro dia, as irmãs fazem sentinela na Capela e participam da Ceia Branca, na sede da Irmandade. No segundo, acontece a Missa de Corpo Presente de Nossa Senhora da Boa Morte. Em seguida acontece a Procissão do Enterro. Neste dia, as irmãs vestem-se de preto, carregam velas e não ostentam joias e outros adereços. O terceiro dia festa começa com a Alvorada. Mais tarde, acontece a missa festiva pela Assunção de Nossa Senhora, seguida da Procissão de Nossa Senhora da Glória. Neste dia as irmãs vestem branco, usam joias e adereços vermelhos, indumentárias e trajes considerados um dos mais belos e simbólicos dentre as manifestações religiosas de todo o mundo. À noite, baianos e turistas nacionais e internacionais se divertem ao som do Samba de Roda no Largo D’Ajuda. Os dois últimos dias são os mais aguardados, pois é quando são servidos, respectivamente, o cozido e o caruru, banquetes preparados pela irmandade e oferecidos de graça a todos.

Comente: