Encontro de Bonecos GigAntes ocupa a Ponte de Cachoeira

29 abril de 2016 | Toni Caldas

Compartilhe:

Durante os dias 19 a 27 de abril foram realizadas nas comunidades do Pilar, em São Félix e Santiago do Iguape, em Cachoeira oficinas artísticas gratuitas para construção de criaturas gigantes inspiradas em histórias de comunidades quilombolas do Recôncavo Baiano.

Puderam participar pessoas de todas as idades. As ações integram o projeto Lugar de GigAntes, idealizado pela atriz, bonequeira e jornalista baiana Alessandra Flores. Por meio das histórias trazidas pelos grupos, serão produzidos quatro gigantes.

“Tudo começa com um desenho. Peço para cada pessoa criar o seu. Da junção de elementos de vários desenhos, nasce uma criatura única, inusitada, que pertence a todos”, explica Alessandra. As oficinas se encerram com um cortejo na comunidade.

O encontro de Bonecos GigAntes do Recôncavo está marcado em Cachoeira, no dia 1º de maio às 16 horas com concentração na orla de São Félix, cruzando a Ponte Dom Pedro II, que saindo em cortejo para Cachoeira. É o momento onde histórias da nossa cultura e criaturas de outra cultura produzidas por pessoas daqui se encontram e formam um grande cortejo, transformando o espaço de ligações que é a ponte de ferro, construída no Brasil Colônia, em um verdadeiro lugar de GigAntes, como foi em Salvador (fotos).

Lugar de GigAntes

Um projeto de construção coletiva de bonecos gigantes inspirados em histórias locais, histórias de vida, personagens do bairro, acontecimentos curiosos, lendas urbanas ou míticas. As criaturas serão criadas e construídas por jovens e adultos moradores e frequentadores dos bairros Santo Antônio Além do Carmo e Alagados, em Salvador; do Quilombo do Iguape, em Cachoeira e da Comunidade do Pilar, em São Félix.

O projeto é idealizado e coordenado por Alessandra Flores. As oficinas contam com a participação dos artistas Cristiano Piton, Danielle Andrade, Fabio Haendel, Janaina Chavier e Paula Carneiro. O projeto Conta com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural e Secretaria de Cultura da Bahia e apoio institucional da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e da organização cultural Casa de Barro.

De onde vem os GigAntes?

Alessandra Flores aprendeu a fazer criaturas gigantes em zonas de pós-guerra quando fez parte da Rise Phoenix, de Londres, apresentando espetáculos e construindo bonecos gigantes no Kosovo, Bósnia, Croácia e Índia.

A primeira criatura gigante que ajudou a fazer nasceu em Londres e atravessou a Europa até o Kosovo: uma Fênix gigante, parte de um espetáculo que alertava crianças sobre o perigo das minas explosivas que podiam ainda estar em qualquer lugar, até mesmo dentro de um brinquedo.

Em Jajce na Bósnia, percebeu que a construção de um gigAnte é quase um pretexto para questões muito maiores, como a tomada de decisões em conjunto, a colaboração, o exercício da liberdade de criar e a importância de compartilhar essa criação com a comunidade.

Comente: